Arquivo da categoria: Beatles

Paul McCartney | Vídeo mostra a invasão de gafanhotos em show em Goiânia

Insetos sobem no beatle, que não para de tocar e cantar

Paul McCartney deu início a sua nova turnê, Out There, em Belo Horizonte, seguindo logo para Goiânia. O show, que atraiu mais de 45 mil pessoas, no dia 6, também contou com uma invasão de gafanhotos.

Veja no vídeo abaixo os insetos subindo nos instrumentos, microfones, equipe de filmagem e até no cantor, que não parou de tocar ou cantar e até interagiu com os bichinhos:

Paul McCartney confirma três shows no Brasil

paul-mccartney

Belo Horizonte, Fortaleza e Goiânia receberão a nova turnê do músico

É oficial: Paul McCartney fará shows em Belo Horizonte, Goiânia e Fortaleza, conforme antecipado no site Omelete.

As informações sobre as datas e valor dos ingressos serão divulgados em breve. Os shows fazem parte da nova turnê Out There!, que começa em junho, na Polônia.

Ano passado, McCartney esteve em Recife e Florianópolis com a turnê On The Run.

Ringo Starr vem ao Brasil em novembro

ringo-starr

Músico deve se apresentar no Rio de Janeiro e em São paulo

O ex-Beatle Ringo Starr virá ao Brasil em novembro desse ano, de acordo com o Popload. O músico tem uma turnê sulamericana confirmada e São Paulo e Rio  de Janeiro são seus prováveis destinos por aqui, ainda sem uma data definida.

Ao lado da All-Starr Band, o músico vai percorrer lugares como Europa, Japão, Australia e Nova Zelândia, com músicas clássicas de sua carreira e do último disco, Ringo 2012.

Os Beatles em apenas 1 minuto

Essa dupla de amigos costuma gravar vídeos pro Youtube fazendo mashups que mostram alguma banda em apenas 1 minuto. Uma das bandas mais pedidas nos comentários são Os Beatles e eles resolveram, então, fazer a mágica.

As maiores músicas dos Beatles num mashup com direito a beatbox em apenas 1 minuto:

jesusmanero.blog.br

Paul McCartney fará show em Fortaleza e Belo Horizonte

Paul McCartney em show no Rio de Janeiro, em 2011.

Paul McCartney em show no Rio de Janeiro, em 2011.

Segundo o jornal Diário do Nordeste, de Fortaleza, o compositor e ex-beatle Paul McCartney voltará ao Brasil mais uma vez para uma pequena turnê, tocando desta vez em Fortaleza e, possivelmente, em Belo Horizonte. De acordo com o jornal, o show foi confirmado por Ferruccio Feitosa, o Secretário Estadual Especial da Copa 2014. O evento é apoiado pelo Governo do Ceará e conduzido pela iniciativa privada como sequência da inauguração da Arena Castelão, estádio que será palco da Copa do Mundo do ano que vem e o primeiro da categoria já inaugurado no Brasil.

O secretário confirma a apresentação em Fortaleza e diz que só falta acertar a data precisa, mas será entre o fim de abril e o começo de maio. A data sugerida é 27 de abril.

Há rumores, ainda, de que o músico pode se apresentar ainda em Belo Horizonte, no Mineirão. E Brasília é outra capital cotada para abrigar o músico.

Paul McCartney fez oito shows no Brasil nos últimos três anos, em 2010, 2011 e 2012, em cidades como Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Recife.

Paul McCartney ganhou o Grammy de Melhor Álbum Pop Tradicional no final de semana passado, por Kisses on the Bottom, seu último álbum. É a primeira vez que ele ganha o prêmio por um álbum desde Let it Be, ainda com os Beatles, em 1970. Segundo reportes, o compositor já está trabalhando em um novo disco. Recentemente, McCartney desenvolveu uma parceria com o também compositor Dave Grohl, do Foo Fighters, tocando com este em uma “reunião” do Nirvana, numa faixa para o documentário Sound City, sobre o estúdio de gravação homônimo. Grohl foi o baterista do Nirvana no início dos anos 1990 até a banda acabar com a morte do cantor e guitarrista Kurt Cobain. Na “reunião”, McCartney “substitui” Cobain.

Paul McCartney nasceu em 1942, em Liverpool, na Inglaterra e alçou a fama com os Beatles, uma das mais importantes bandas do rock clássico, a partir de 1962. O grupo acabou em 1970 e o compositor seguiu carreira solo que se mantém até hoje. Em 2012, lançou o álbum Kisses on the Bottom, com covers de canções românticas dos anos 1940 e 1950. Fonte : HQrock

Curiosidades | Beatles : Saiba um pouco sobre a história da música “Piggies”

Depois de assassinar 8 pessoas em 1971 , Charles Manson , obcecado pelos Beatles , usou o sangue das vítimas para escrever “Pig” nas paredes.

George falou de “Piggies” como um “comentário social” , mas a música foi um pouco além da simples zombaria da classe média ao chamá-la de “porcos”. “Pigs” era uma expressão de menosprezo na Inglaterra da década de 1960 e geralmente ficava reservada a polícia. Os porcos também foram os animais escolhidos por George Orwell em Revolução dos bichos para representar os líderes Tiranos.

PIGGIES | autoria : Harrison

A canção ficou famosa em 1971 quando foi revelado que Charles Manson , o autointitulado líder da infame “Família Manson” , interpretou a letra como um alerta que o establishment  branco se preparasse para uma rebelião. Na mente perturbada de Manson , a sugestão  de que os porcos precisavam de “uma bela surra” foi especialmente significativa .

De acordo com testemunhas , essa era uma das frases favoritas de Manson, e ele a citou muitas vezes antes de ser preso pelo envolvimento em assassinatos , vistos por muitos como um capítulo final e sombrio para a era hippie.

A pista que acabou ligando os 8 assassinatos – 5 dos quais aconteceram na casa da estrela do cinema Sharon Tate, dois na de Leno LaBianca e uma na de Gary Hinman – foram as palavras “Pig” , “Pigs” ou “Piggy” escritas com sangue das vítimas. Os LaBianca chegaram a ser atacados com garfos e facas , aparentemente porque os utensílios são mencionados no último verso.

George ficou aterrorizado com a interpretação equivocada de Manson para uma canção que considerava bem tranquila e comentou o verso “damn good whacking” foi sugestão de sua mãe quando ele procurava algo para rimar com “backing” e “lacking”. “Não tinha nada a ver com policiais americanos nem com vadias californianas”, ele afirmou.

Beatles: aos 50 anos, Love Me Do cai no domínio público europeu

Imagem

O primeiro single dos Beatles, “Love Me Do”, entrou para o domínio público da Europa, graças à atual lei de direitos autorais da União Europeia.

De acordo com esta lei, direitos autorais sobre músicas gravadas expiram após 50 anos. Como “Love Me Do” e o seu lado B, “P.S. I Love You,” foram lançadas em 1962, a proteção sobre as faixas expiraram no dia 31 de dezembro de 2012. Embora um movimento esteja a caminho, para estender a proteção para 70 anos, a revisão sobre a lei não surtirá efeito antes de novembro. (Nos EUA, a lei protege os direitos autorais por 95 anos).

A nova lei incluirá uma cláusula de “use ou perca”, o que significa que empresas que possuem os direitos sobre gravações lançadas antes de 1963 são obrigadas a disponibilizá-las para consumo e compra, caso contrário o artista pode reclamar o controle sobre os direitos autorais.

Uma empresa chamada Digital Remasterings tomou vantagem da lei incluindo “Love Me Do” em uma compilação das primeiras músicas dos Beatles. A clássica Pristine Classical também tirou proveito da lei, desta vez como um single remasterizado, em protesto contra a dificuldade que a lei que pretende estender a proteção dos direitos autorais causará em seus esforços para relançar antigas gravações sinfônicas.

Nirvana | Paul McCartney assume os vocais da banda

Apresentação única será realizada no Madison Square Garden em evento especial

paul-mccartney

Paul McCartney assumirá os vocais do Nirvana  durante uma noite. A apresentação será realizada no Madison Square Garden, em Nova York, durante o evento em homenagem às vítimas do furacão Sandy, o 12.12.12. As informações são do The Sun.

Dave Grohl e Krist Novoselic terão a companhia do ex-beatle e de Pat Smear, que também já tocou com o Nirvana em outrora. Não se sabe ao certo quais músicas serão tocadas, mas o tablóide ainda afirma que uma faixainédita será apresentada.

Além deles, músicos como Bruce SpringsteenBilly JoelKanye West Jon Bon Jovi se apresentarão

Curiosidades: Musica | Lennon e sua morte

Como aconteceu

John Lennon em 1964

Por volta de 23 horas de 8 de dezembro de 1980, o músico retornava, com sua esposa Yoko Ono, de um estúdio de gravação. Quando Lennon dava entrada em sua residência, o Edifício Dakota em Nova Iorque, um homem de 25 anos chamado Mark Chapman, que no fim da tarde do mesmo dia havia se encontrado com Lennon junto a fãs e conseguido um autógrafo de Lennon em uma capa do álbum do cantor chamado Double Fantasy, sacou um revólver e efetuou cinco disparos contra Lennon. Várias fontes afirmam que, antes de efetuar os disparos, Chapman gritou: Mister Lennon! (Senhor Lennon!), mas Chapman afirma não se lembrar de tê-lo feito. O primeiro tiro se perdeu atingindo uma janela do prédio, porém os quatro seguintes atingiram em cheio o corpo de Lennon, três deles atravessando o corpo e um deles destruindo a artéria aorta do cantor, causando severa perda de sangue, e ele caiu na recepção do hotel. O porteiro do edifício desarmou Chapman e chutou a arma para longe, e perguntou a ele: “Você sabe o que fez?”. Mark Chapman respondeu calmamente: “Sim, eu atirei em John Lennon.” Chapman não tentou escapar e sentou-se na calçada e esperou a chegada da polícia.

Lennon foi declarado morto ao chegar no hospital St. Luke’s-Roosevelt , onde foi constatado que ninguém poderia viver mais do que alguns minutos com tais ferimentos. Antes de declararem sua morte, médicos abriram o peito de Lennon e massagearam manualmente seu coração por vários minutos a fim de restaurar a circulação sanguínea, mas o dano causado aos vasos sanguíneos era muito grande. Além disso, Lennon já havia chegado sem pulsação e sem respirar, e também havia perdido 80% do seu volume sanguíneo, sendo assim declarado que a causa da morte dele foi choque hipovolêmico. Após o crime ser noticiado pela mídia, multidões de fãs se juntaram ao redor do Hospital Roosevelt e do Edifício Dakota para prestar homenagem a Lennon. O corpo do cantor foi cremado dois dias depois e sua cinzas foram entregues a Yoko Ono, que preferiu não realizar um funeral para Lennon.

Motivo do crime

Entrada do Edifício Dakota, local exato onde John Lennon foi executado

Segundo Mark Chapman, que era cristão, o seu ódio a John Lennon originou-se das várias afirmações do cantor sobre Deus, consideradas por Chapman como blasfêmias. Chapman também era fã dos Beatles, até o dia em que John Lennon fez a infame declaração de que os Beatles seriam Mais populares que Jesus, em 1966. Amigos de Chapman disseram que isso o deixou enfurecido e ele seguia se perguntando por que Lennon havia dito aquela blasfêmia. E segundo ele mesmo, seu ódio a Lennon aumentou quando o cantor criou a música “Imagine”, em 1971, onde Lennon diz que deve-se imaginar que os céus – no plano espiritual – e até mesmo o inferno não existem, conspirando contra os ensinamentos de Jesus Cristo. Mas não foi só isso que enfureceu Chapman na letra desta canção. Mark Chapman disse:Ele (John Lennon) nos disse para imaginarmos que não existem posses (ou “bens materias”, especificamente na frase “Imagine no possessions” da música Imaginee lá estava ele, com milhões de dólares, iates, fazendas e mansões, rindo de pessoas como eu, que acreditaram em suas mentiras, compraram os discos dele e alicerçaram boa parte de suas vidas com as músicas dele.

john lennon/plastic ono band

Outra música que o deixou enfurecido foi a canção God (do álbum John Lennon/Plastic Ono Band), onde Lennon diz que Deus é apenas um conceito e que não acreditava em Jesus, nem na Bíblia e até mesmo nos Beatles. Chapman disse que após ouvir esta música teve vontade de gritar bem alto[11]:Quem ele pensa que é para dizer essas coisas de Deus, dos céus (ou paraíso) e dos Beatles, dizendo que não acredita em Jesus ou coisas assim? Chapman chegou até mesmo cantar sua “versão” para a música Imagine:Imagine John Lennon morto... Ele havia anteriormente ido a Nova Iorque, em outubro de 1980, para assassinar John Lennon, mas mudou de idéia e retornou à sua casa no Havaí[13]. Chapman disse que na hora de puxar o gatilho que em seu sangue (ou, dentro de si) não havia emoção, nem raiva. Apenas um silêncio mortal em seu cérebro. E também alega ter ouvido uma voz misteriosa que lhe repetia: “Do it, do it, do it” (“Faça isto!”, ou “Mate!”) quando John passou por ele. Chapman também disse em entrevistas que pediu ajuda a Satanás para possuí-lo e assim cometer o crime.

Consequências

John e Yoko em 1980

Pelo assassinato de John Lennon, Mark Chapman foi condenado à prisão perpétua, com possibilidade de liberdade condicional após 20 anos de pena – a partir do ano de 2000, lhe seria concedido um julgamento visando sua liberdade condicional a cada dois anos. Ele cumpre pena desde 1980 numa penitenciária chamada Attica Correctional Facility, em Attica, Nova Iorque. Sua liberdade condicional foi negada sete vezes (bienalmente, entre 2000 e 2012). Em todas as vezes, Yoko Ono se opôs à liberdade de Chapman, dizendo que a vida dela, dos filhos de Lennon e a do próprio Chapman estariam em risco.

The Beatles : You’ve got to hide your love away | A história por trás da canção.

Capa de “Another Side Of Bob Dylan”

A influência de Bob Dylan – o álbum acústico Another Side Of Bob Dylan era o mais recente – levou John na direção de um estilo de composição mais intenso e pessoal. Ele começou a escrever canções em que seu estado de espirito fosse o ponto de partida imediato. Nos primeiros versos de ” You’ve got to hide your love away ” , a imagem de John diante de uma parede com a cabeça entre as mãos provavelmente era uma descrição perfeita de como ele se sentia quando estava escrevendo.

A canção é sobre um relacionamento que deu errado e os sentimentos ocultos de John pela garota perdida. Tony Bramwell sugere que foi escrita para Brian Epstein. um alerta para que mantivesse suas relações homossexuais ( que, na época , eram ilegais na Inglaterra ) longe dos olhos do público . Também havia o rumor de que se referia a um caso secreto que John estava tendo.

Escrita por John em Kenwood , foi usada no filme durante a cena em que a atriz britânica Eleanor Bron visita o grupo para recuperar o anel perdido.

Pete Shotton, amigo de infância de John.

O amigo de infância de John , Pete Shotton, estava com ele em Kenwood e lembra que na versão original ele cantava que se sentia “Two foot tall”. Só quem, quando John mostrou a música a Paul, cantou por engano “Two foot small”, que Paul preferiu, então a frase foi mantida. Shotton foi à gravação em 18 de fevereiro de 1965 e acrescentou alguns “Heys” aos refrões.

Lançada no Reino unido no álbum Help!, 6 de agosto de 1965.

Abaixo segue o clipe (filme)  da música:

The Beatles – A história por trás de todas as canções de Steve Turner. compre aqui!

” Sou um grande fã deste livro de Steve Turner. É um trabalho de muita inspiração.” – Bono (U2)

%d blogueiros gostam disto: